Blog deFilipa Vicente

Nutricionista · 1369N

Eat, live, perform, sleep

Personalizado vs Flexível

sábado, 06 de fevereiro de 2021

Está muito na moda usar o termo "dieta flexível" para desvalorizar a importância de ter um plano alimentar "fixo". Ambos podem e devem coexistir e fazem parte de um meio para atingir um fim: ensinar-lhe a ter boas escolhas alimentares e saber fazer outras de forma consciente e de acordo com os seus objectivos. 

Um plano alimentar não tem de ser uma dieta rígida, embora por vezes a sua vontade em atingir os resultados não seja proporcional à disciplina necessária para fazer o que tem de ser feito. Quando o limão arde na ferida... a culpa não é do limão! 

É necessário assegurar algumas premissas que permitam conseguir uma consistência mínima antes de começar a mudar variáveis, já imaginou uma companhia aérea ter horários de voos de acordo com "a vontade diária"? Tudo tem uma lógica. 

Tenho dito várias vezes que não recomendo ter "macros" porque 100g de hidratos de carbono vindos de arroz, massa, pão e aveia não são o mesmo que ter 100g de hidratos de carbono vindos de fruta por exemplo. Não são os mesmos hidratos de carbono e não é o mesmo contributo nutricional! São alimentos que devem coexistir nas porções devidas e combinados em harmonia. 

No entanto, quando começa a manter a disciplina e a rotina a seguir um plano base, começa a perceber que existe uma enorme variedade possível dentro da mesma refeição e começa também a perceber quando pode comer algo fora do plano e seguir de bem com a sua vida e quando comer fora do plano é um gatilho para nova fase de anarquia nutricional. 

Lembre-se que o objetivo não é fazer uma Dieta mas sim comer de acordo com os seus objetivos! Repito: SEUS OBJETIVOS! 


Isso quer dizer que um plano sério, realista e sustentável também ensina a fazer "asneiras" na frequência certa e da forma adequada. 


"Insanidade é esperar resultados diferentes fazendo sempre a mesma coisa" Albert Einstein