Blog deIsabel Pedroso Silva

Nutricionista · 3836N

Check decagram white

por uma alimentação responsável

Arrow

5 sinais de uma saúde intestinal debilitada e o que fazer

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020
Artigo em colaboração com o blog da Oito.Um, onde abordei 5 sinais de uma saúde intestinal debilitada e, no final do artigo, 5 ações a tomar para melhorar a saúde intestinal.


Vamos ser honestos: para a maioria das pessoas, o estilo de vida atual não é propício a uma saúde intestinal plena. São frequentes os níveis elevados de stress, poucas horas de sono, horários de alimentação desregulados e níveis de açúcar acima do desejável. No fundo, tudo isto afeta a saúde intestinal e prejudica o microbioma.


Há quem diga que o intestino é o nosso segundo cérebro. Sabia que boa parte do sistema imunitário se encontra no intestino? Vivem lá cerca de 2 a 3 kg de bactérias. Se não nos alimentarmos de forma adequada, todo o organismo vai sentir. A saúde em geral fica afetada, particularmente o sistema imunológico. Surgem problemas na pele, flutuações de peso e alterações na capacidade de absorção de nutrientes. Felizmente, o corpo humano é uma máquina maravilhosa que nos vai alertando quando algo não está bem.


5 SINAIS DE UMA SAÚDE INTESTINAL DEBILITADA 

1 – ALTERAÇÕES INESPERADAS DE PESO

Perder ou ganhar peso de forma não intencional pode ser um sinal de que a nossa flora intestinal não está feliz. Um intestino debilitado prejudica a capacidade de o corpo absorver nutrientes, o que poderá levar a um aumento inesperado de peso. Já a perda de peso pode ser causada por um crescimento excessivo de bactérias no intestino delgado (SIBO - Small intestinal bacterial overgrowth).


2 – DESCONFORTO GASTROINTESTINAL

Flatulência, inchaço abdominal, obstipação, diarreia, azia… Não é normal viver diariamente com estes sinais de desconforto gastrointestinal. E também não é normal ter uma função intestinal irregular. Se for o seu caso, procure rapidamente a ajuda de um profissional especializado em saúde intestinal.


3 – INTOLERÂNCIAS ALIMENTARES

(continuar a ler no blog da Oito.Um)