Blog deIsabel Pedroso Silva

Nutricionista · 3836N

Check decagram white

por uma alimentação responsável

Arrow

O ciclo da restrição e da compulsão alimentar

Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020

É este ciclo que nos faz sentir sem controlo.

O nosso corpo é uma máquina linda e maravilhosa. Mas a verdade é que, quando não o alimentamos (e tratamos) como deve ser, ele sente. Ele sabe. Ele ouve. E ele é mais esperto do que nós. Por essa razão, vai querer sempre compensar aquilo que não lhe estamos a dar. ⁣⁣⁣

Se de segunda a sexta há um corte em demasia ao que deveríamos estar a ingerir, para algumas pessoas é normal que o fim-de-semana seja o caos e ocorre um ímpeto compensatório, a exagerar extremamente nas quantidades e sem tempo para respirar pelo meio. Da mesma forma que, quando comemos em demasia, o nosso corpo alerta-nos para o excesso de calorias. Muitas das vezes, vem com a sensação de culpa e caímos na tentação de restringir grupos alimentares.

É quase um ciclo. Um ciclo de ansiedade e uma não tão boa relação para com a comida. ⁣⁣


"Mas há solução?" 

Assim, de forma sucinta, são as pequenas mudanças diárias. E a paciência. Devemos priorizar e aprender mecanismos que nos vão ajudar a parar com a compensação. Passo a explicar-me: ⁣⁣⁣

- parar de rotular alimentos como bons ou maus.⁣⁣⁣

- parar de saltar refeições porque sabemos que vamos ter um jantar fora do normal.

- parar de sentir culpa ou ansiedade quando ingerimos alimentos que algum blog aleatório por aí disse que eram "maus".


Ou seja,

Ao restringir demasiado, o corpo vai acabar por compensar em algum momento.⁣⁣⁣ Por isso, comecemos por mudar mentalidades.

O mundo não vai acabar amanhã, logo não precisamos de comer como se tal fosse acontecer. Praticar uma alimentação mais consciente à mesa, pousar os talheres, mastigar calmamente os alimentos são estratégias perfeitamente válidas para começar a prestar atenção aos sinais de saciedade do nosso corpo. 

Tudo vem com o tempo, com a consistência e consciência. E a partir do momento que deixamos de parte obsessões para com a comida, é aí que os resultados começam a surgir.⁣⁣⁣


isabelpedrososilva.n@gmail.com