Blog deSofia Oliveira Pinto

Nutricionista · 3370N

Não abdique do prazer de comer em prol do seu objetivo! Ser feliz a comer é o melhor caminho para atingir resultados sustentáveis 💪

Leite vs. Bebidas vegetais – serão mais as semelhanças ou as diferenças?

domingo, 27 de dezembro de 2020

A substituição do leite por bebidas vegetais é uma das mais recentes tendências da alimentação atual. Seja por alergia ou intolerância, seja pela disseminação de mitos sobre o impacto do leite na saúde ou ainda motivada pela adoção de um padrão alimentar vegetariano, a verdade é que o consumo deste alimento tem vindo a ser progressivamente abandonado. Em simultâneo, o consumo de bebidas vegetais tem vindo a aumentar, assim como a variedade de opções disponíveis no mercado: além das versões tradicionais, é possível encontrar bebidas light, sem adição de açúcares, com sabor e enriquecidas em micronutrientes. Mas afinal, serão mais as semelhanças ou as diferenças entre o leite e as bebidas vegetais?

Apesar de serem erradamente apelidadas de leite, são escassas as semelhanças entre as bebidas vegetais e o leite de vaca, limitando-se à aparência e modo de consumo. Distinguem-se:

Na origem - enquanto que o leite é produzido pelas glândulas mamárias de mamíferos, as bebidas vegetais resultam da combinação de água com um ou mais alimentos de origem vegetal (soja, arroz, aveia, espelta, quinoa, amêndoa, noz, avelã, caju, coco).

Na composição nutricional: 

- A grande maioria das bebidas vegetais apresenta valores residuais de proteína (<1%), sendo a de soja a única que se aproxima do leite no que diz respeito à quantidade deste nutriente. Pelo menor teor em aminoácidos essenciais e pela baixa digestibilidade, as proteínas vegetais são consideradas de menor qualidade comparativamente às proteínas do leite, sendo mais uma vez de destacar a proteína de soja como aquela que apresenta melhor qualidade. 

- Quanto ao teor de hidratos de carbono, pode variar entre 0,1-14g/100ml de bebida vegetal, podendo assim apresentar o triplo da quantidade que está naturalmente presente no leite (4,9g/100g), bem como conter uma quantidade de açúcares igual ou superior a alguns refrigerantes. Por este motivo, é importante analisar os rótulos de forma a evitar a compra de bebidas vegetais com adição de açúcares. De realçar que estas bebidas são naturalmente isentas de lactose. 

- Quanto à gordura, o teor pode variar entre 0-3%, com predomínio dos ácidos gordos mono e polinsaturados na maioria das bebidas vegetais, à exceção da bebida de coco em que se destacam os ácidos gordos saturados. 

- Relativamente ao teor vitamínico e mineral, as bebidas vegetais apresentam um menor teor de fósforo, potássio, selénio e iodo comparativamente ao leite, sendo a bebida de soja a que se assemelha mais a este. Algumas bebidas vegetais são fortificadas em cálcio, atingindo valores na ordem dos 120mg/100ml, teor muito próximo daquele que está presente no leite (110mg/100g). No entanto, a adição de cálcio às bebidas vegetais não as transforma numa fonte igual ou superior ao leite uma vez que a presença de fitatos ou oxalatos interfere na sua biodisponibilidade, assim como a sedimentação do sal de cálcio na embalagem. Algumas bebidas são ainda fortificadas em vitaminas B12, B2 e D.

Em suma, apesar das semelhanças na aparência e modo de consumo, a maioria das bebidas vegetais não se equipara ao leite do ponto de vista nutricional.